QUALIDADES DE OMULU/OBALUAYÊ

omolu_carybe

Xapanã, Omolu / Obaluayê é o rei da terra. Suas vestes são ìko (fibra de ráfia que é um tipo de palmeira), conhecida popularmente por palha da costa, tendo grande significado ritualístico nos ritos ligados à morte, pois indica a necessidade de algo permanecer oculto. A sua roupa é composta de duas partes o “Filá” (capuz trançado de palha da costa, acrescido de palhas em toda sua volta) e o “Azê” (saia de palha da costa ) que passam da cintura, sendo sua roupa normalmente ornada com Cauris (búzios).
É uma divindade de origem Fon que foi posteriormente introduzida no panteão Nagô, havendo nesta fusão a mistura com alguns outros deuses distintos. Na mitologia é considerado filho de Nanã e irmão de Oxumaré e Iroko. Ligado a vida e a morte, a saúde e a doença é também chamado de Senhor das Passagens.
Cultuado sob a forma de Omulu (velho) quando está ligado ao desencarne e Obaluayê (jovem) quando está ligado ao encarne. Sua festa anual chama-se Olubajé, sendo obrigatória em Terreiros que possuam filhos feitos a este Orixá.

Suas qualidades mais cultuadas no Brasil são:
Akavan: Tem ligação com Oyá,.
Azonsu ou Ajunsu: Tem fundamentos com Oxumaré, Oxun e Oxalá. Carrega uma lança e veste branco.
Azoani: É jovem, veste vermelho, palha vermelha. Tem enredo com Iroko, Oxumaré, Iemanjá e Oyá.
Avimaje: Tem fundamento com Nanã, Ossain e Odé.
Afomam: Carrega duas bolsas de onde tira as doenças. Tem fundamentos com Oxumaré, Ogun a quem é muito ligado, dança cavando a terra com Intoto (Vodun responsável pela putrefação das carnes e dos alimentos em geral) para depositar os corpos que lhe pertencem.
Ìpòpò: Tem forte fundamento com Nanã, usa biokô (tipo de boné).
Agòrò: veste branco, usa biokô (tipo de boné) com franjas de palha

Jagun (jovem guerreiro) podendo ser:
Arawe Jagun: Tem fundamento com Oyá e Oxalá.
Ajoji Jagun: Tem fundamentos com Ogun e Oxagian.
Segí Jagun: Tem ligação com Yemanjá, Oxumare e Nanã.
Agbagba Jagun: tem fundamento com Oyá.
Itubé Jagun: É jovem e guerreiro; leva na mão uma lança chamada okó; Tem caminhos com Ogun Já, Oxaguian, Ayrá, Exu e Oxalufan. Não come feijão preto e é o único que come Igbin (Caracol).
Tetu Jagun: É jovem e guerreiro. Come com Ogum e Oyá. Veste de branco, usa biokô.
Itetù Jagun: ligado a Yemanjá e Oxalá

Uma ressalva em relação a Jagun é que nos Itans ele surge como guerreiro dos exércitos de Obatalá, que foi enviado às Terras de Obaluayê com a finalidade de lutar pela paz, permancendo por muito tempo lá. Assim acabou sendo “assimilado” como uma qualidade de Obaluayê em muitas Casas.
No entanto podemos dizer que o mais correto é que Jagun é um Orixá funfun, ou seja usa branco, seu culto tem origem nas terras do Ekiti-Efon, e que no Brasil foi associado a Obaluayê. No entanto por suas particularidades pode ser considerado um Orixá a parte, sendo um guerreiro de forte fundamento com Ogun Já e Oxaguiã Ajagunã, os quais representam os três guardiões de Obatalá.

About these ads
This entry was posted in Doutrina. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s