NAÇÃO OMOLOKÔ

Segundo nosso entendimento, o Omolokô começou a existir como uma das variantes de religião afro-brasileira que passou a ser praticada no Brasil a partir de algum tempo no passado, depois da chegada dos escravos negros. Provavelmente de maneira precária no início, pela falta de liberdade dos escravos para qualquer tipo de organização, mas, com o decorrer do tempo e com as leis que foram aos poucos mudando as condições de vida dessas pessoas, de maneira mais organizada e completa – e o Omolokô, nesse particular, em nada difere das outras variantes religiosas afro-brasileiras. O que o torna particular é que ele se estruturou inteiramente no Brasil, tendo influência de diversos rituais religiosos africanos, principalmente os dos povos que vieram de regiões que hoje são o Congo, Angola, Moçambique, Nigéria, Benin, Camarões – e, portanto, diferente dos Candomblés, por exemplo, os de origem Yorubá, que ainda hoje guardam forte predominância de influência de sua região de origem, e aqui se organizaram obedecendo a um  padrão religioso e cultural já preestabelecido nessas origens.

O Omolokô organizou-se majoritariamente na Zona da Mata em Minas Gerais, no estado do Rio de Janeiro, no nordeste do estado de São Paulo e em parte do Espírito Santo; o nome é  Yorubá e existem várias opiniões a respeito de seu significado. Uns dizem que significa “filhos do tempo”, porque no início, devido à falta de recursos, seus adeptos praticavam-no ao ar livre, ou debaixo das árvores, ou debaixo das árvores chamadas Iroko. Outros atribuem à palavra sentido mais literal e abrangente, como “filhos da fazenda”, ou mesmo “filhos da roça”, designando os negros vindo do meio rural e que professavam tal religião, haja vista serem muitas dessas organizações estabelecidas mesmo nas roças, ou em áreas afastadas das cidades.

Teria surgido, segundo Tancredo da Silva Pinto  entre o povo africano Lunda-Quiôco. É chamado erroneamente de Umbanda Omolokô, pois se difere desta por ter características singulares aos seus preceitos tais como matanças, vestimentas, e etc.…

O Omolokô praticado por nós foi influenciado por uma escrava, nascida na África, que no nosso meio ficou conhecida como Maria Batayọ, e posteriormente  pelo Tatá Tancredo  já falecido,  que foi um grande estudioso e escritor do livro Culto Omolokô: Os Filhos de Terreiro.

Algumas pessoas se confundem do que seja Omolokô. “Omolokô é Umbanda ou Candomblé? ”A resposta só poderia ser uma única: Omolokô não é Umbanda apesar de aceitar em seus rituais o culto a Guias de Umbanda. O Omolokô cultua os Orixás com suas cantigas em Yorubá ou Angola, pois como já foi dito anteriormente esse ritual houve forte influência também por estas duas culturas. Porém, como se pode ver o ritual Omolokô não poderia ser encaixado no grupo dos Candomblés Jêje e Nagô, pelo principal motivo de que no Omolokô são cultuados, ainda que em situações separadas, os Caboclos, Pretos-Velhos dentre outros Guias, aceitando-se a realização de práticas ritualísticas de Umbanda em um mesmo solo. No Omolokô existe uma maior aproximação com o Candomblé de origem Banto, que aceita o culto aos Espíritos de Antepassados.

Dentro da Nação Omolokô os preceitos são próprios de Nação, tais como Catulagem, Recolhimento, Deitar para o Santo, O Jogo de Búzios, assentar Orixás ou Inkices (depende da vertente) e o próprio Xirê, que não existe na Umbanda, entre outros.

O diáspora dos Orixás cultuados no Omolokô também se difere da Umbanda. Enquanto o primeiro cultua os mesmos Orixás ou Inkices existentes no Candomblé, a segunda os cultua em números menores de Orixás.

This entry was posted in Doutrina. Bookmark the permalink.

76 Responses to NAÇÃO OMOLOKÔ

  1. JORGE MAVILONANGE says:

    OLÁ EU SOU MAVILONANGE SOU INICIADO NO OMOLOKO TMBM HOJE EM DIA MUITAS COISAS Q ACONTECEM DENTRO DO CULTO NÃO NOS AGRADAM TIPO
    -TIRAR ZUELAS DE CULTO UMBANDA EM XIRE DE OMOLOKO ;
    -MISTURAR ENTIDADES COM N’KISIS/ORIXÁS;
    -OU SEJA IMPLANTAR SEQÜENCIAS Q É USADAS NA UMBANDA POIS É POR ISSO E MUITAS OUTRAS COISAS Q NOSSA NÃÇÃO ESTA SE DESFIGURANDO

    POR EXEMPLO ,EU TENHO UMA CASA DE SANTO EM BARRA DO PIRAÍ-RJ ONDE SE PROFESSA O CULTO LUNDA KIOKO E O CULTO UMBANDA SENDO Q EM DIAS BEM DISTANTES UNS DOS OUTROS EU QUERO ESTAR INICIANDO HOJE UM LAÇO DE AMIZADE COM VCS E ASSIM JUNTOS DEFENDERMOS A BANDAIRA LUNDA KIOKO
    POIS SOMOS OS UNICOS Q TEMOS DIREITO DE CARREGAR DUAS BANDEIRAS
    A DE KITEMBO E E ANOSSA DO LUNDA KIOKO ENTÃO SOMOS PREVILEGIADOS

    DESDE DE JÁ O MEU MUKUIÚ E O PEMBELE ASS: JORGE MAVILONANGE.

    • É um prazer ter contato com o irmão. Concordo com o que disse. Eu não gosto, e não concordo com o termo “Umbanda Omolokô”. Omolokô é nação e tem grandes diferenças entre a Umbanda. A Umbanda é muito heterogênea. O que se tem como padrão de Umbanda em São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, é diferente do que se chama de Umbanda no Nordeste, que é bem diferente da Umbanda do Sul do País, Argentina, Uruguai e Paraguai. Existem ainda o que podemos chamar Neo-Umbandas, como a Iniciática, Esotérica, Renovada e por aí vai. O Omolokô assim como o Candomblé tem raízes mais antigas, e um culto próprio e definido. Xirê é Xirê, Gira de Umbanda é uma coisa, Gira de Exú é outra. Nós temos que manter cada coisa em seu devido lugar, antes que vire uma Kizumba, no mau sentido. Vai ser um prazer manter contato com o irmão. Mukuiu N’Zambi!

      • Andrea Marinho says:

        Olá,
        Babalorixáa Renato T’Ogum,

        Por favor, gostaria de saber se o Orixá Oxoguiã, pode ser feito dentro do culto Omolokô,
        pois tenho que fazer o Santo o mais rápido possível, poiss estou passando por vários, problemas, mas já me dizeram que este Orixá é de Nação e não pode ser feito no Omolokô, pois os fundamentos com os animais cconsagrados”IGBI” etc… não poderiam ser feitos. O srº que é conhecedor do culto Omolokô o que acha?

        MUKUIU

      • Pode sim, como qualquer Orixá! Na verdade muitos ainda acham que Omolokô é Umbanda, e não é. O verdadeiro Omolokô é Nação. O que acontece é que você deve procurar um Ilê de Omolokô que cultue Orixás, pois existem a vertentes que cultual Inkices e Bacuros, trazendo algumas diferenças quanto a feitura.Asé.

      • Elisete moreira de oliveira says:

        o senhor tem toda razão

  2. JORGE MAVILONANGE says:

    bom vamos manter contato sim meu tel é (0xx24)98388663

  3. Omi Oju says:

    Olá, ogan tem que fazer feitura no Omolokô?
    Pergunto porque fui numa casa em que os búzios mostraram pra Mãe meus santos de cabeça e ela disse que eu posso ser o ogan da casa dela, mas tenho que fazer a feitura e isso não sairia por menos de 20.000 reais, ou seja, impagável. Eu desisti, mas a dúvida ficou…

    • Mukuiu N’Zambi! Claro, Ogan tem que fazer feitura de Santo. Eu apenas me assusto com essa cobrança, que para mim é absurda. É comum se cobrar pela feitura, isso ocorre na maioria dos Terreiros. Mas eu, isso opinião minha, acho demais cobrar um valor desses, principalmente porque como Ogan você estaria servindo à Casa. Com calma e paciência, pedindo aos seus Orixás, você vai encontrar um lugar que não te exija este “mundo” de dinheiro. Ogan éuma função muito nobre, e tenho certeza que tem muito Ilê de fundamento que não te exigiria tanto. Espero ter te esclarecido. Asé.

      • Omi Oju says:

        Muito obrigado pela resposta. O que aconteceu foi o seguinte: eu nunca frequentei a religião, mas sempre passo em frente à Tenda pelo caminho que faço. Há anos eu pesquiso (academicamente) e sempre tive muita simpatia e identificação , então um dia, alguma coisa (talvez só curiosidade mesmo) me fez entrar e conversar. Primeiro ela botou cartas e conversou comigo sobre a vida e apesar de a idade dela ser bem próxima da minha (por volta dos 30), a vidência dela jorrou nas palavras sobre minha vida. A Mãe é um pessoa muito legal, nova, e parece ter muita sabedoria da religião. Ela falou o valor na lata na segunda vez que fui lá, quando pedi que ela fizesse um jogo para saber meus orixás. Talvez tenha sido pra me assustar e testar a minha vontade de frequentar a casa dela. Tanto que continuo passando lá em frente, converso, e ela sempre com muita cortesia e atenção. Sei que pode ser inviável responder a pergunta que vou fazer, mas qual seria um valor condizente com a feitura de um ogan? Me refiro aos gastos com a lista e um valor de chão “justo”. Muito obrigado novamente.

      • Mukuiu N’Zambi! Realmente fica difícil calcular valores. Primeiro que o gasto com material e animais varia muito de lugar para lugar, e também varia de acordo com cada Orixá. Segundo que falar um valor que seja justo pela mão da Yá ou Babá também é difícil, uma vez que o que é um valor justo pra mim pode não ser para outro. Tratando apenas do material e animais calculo algo em torno de R$ 3.500,00 a R$ 5.000,00 dependendo do Orixá. Parece muito, mas não podemos esquecer que na Saída de Santo deve haver um Ajeum, o que traz um gasto grande. Espero ter ajudado um pouco. Asé.

  4. juliana bitar says:

    sou de omoloko, amo minha nação. e quanto o valor do ogan omi oju, que saida de santo é essa meu filho cara desse jeito… omoloko não se gasta tanto assim não! creio eu que o mais caro de uma feitura é o chão, e quanto ao restante dos materias.. os irmãos do axé pode chegar junto tbm… na minha casa é assim, qundo um irmão precisa mais não tem tanta condição assim…
    todos chegamos junto, não é para a pessoa que estamos dando . é para o orixa..
    e lá na frente receberemos em triplo!
    bjs. axé.

    • Mukuiu N’Zambi! O que eu posso lhe dizer é que se você pegar uma lista de materiais par feitura de Santo e somar ítem po ítem, mais o Ajeum, e é claro levando-se em conta para qual Orixá é a feitura, você vai chegar neste valor aproximado que eu disse de R$ 3500,00 a R$ 5000,00 EM MÉDIA, dependendo em muito do Ajeum a ser servido, Paramentação do Orixá e decoração. É claro que com os demais irmãos ajudando fica sempre muito mais fácil, e na minha opinião deve ser assim. O fato é que tudo deve ser feito levando-se em conta as posses do iniciado, caso contrário somente quem tem dinheiro poderia fazer o Santo.

  5. rico mendes says:

    ola axe
    quanto tempo leva para um ebomi chegar a um babakekerê ou uma yakekere
    eu sou de kimbanda tenho ja feito na kinbanda uma macaia a 32 anos, e gostaria de saber
    se no omoloco eu posso contar esse tempo de santo .
    ja fui em outras naçoes e não comsideraram esse tempo q eu tenho .
    valeu axe. meu imail ricomendes10@hotmail.com

    • Mukuiu N’Zambi! Infelizmente o seu tempo de Obrigações não podem ser aproveitados. Realmente você terá que passar pelos Ritos de Iniciação e demais Obrigações durante sete anos para se tornar um Ebomi.

  6. maria helena says:

    mukuiu!!!! gostaria de saber como faço para ter mais aprendizado,faço parte da familia omoloco e gostaria de me aprofundar mais.

    • Mukuiu N’Zambi! É muito bom querer adquirir conhecimento.Existe várias formas de se aprofundar no assunto. A própria Internet possui muita Info, mas cuidado, muitas também são errôneas.A melhor maneira é aprender com os mais antigos. Digo sempre aprendemos cerca de um terço estudando, e dois terços vivenciando as coisas dentro do Terreiro. Saber conceitos é uma coisa muito importante, mas lembre-se fundamentos são ensinados apenas aos iniciados, e no tempo certo de aprenderem. Mas dentro daquilo que já lhe é permitido converse com os mais antigos, pergunte e aprenda, mas um grande ensinamento não só para o Abiã, como para o Yawô também, é aprender ter paciência e não pular etapas. Dentro do que eu souber e puder lhe passar pode perguntar que terei prazer em responder.

  7. Augusto Palmieri says:

    Salve! Mais quando tempo leva? Tenho um amigo que não tem mais de três anos de Santo e já vai abrir um terreiro, isso e possível dentro do OMOLOKÔ?
    Axé!

  8. Suzie Pacheco says:

    Salve!!! Boa Tarde a todos…. Meu nome é Suzie , sou filha de Oxalá e Iansã, gostaria de solicitar a ajuda dos irmãos, pois sou apaixonada pela nação Omoloco. Há pouco mais de dois anos tivemos que deixar o ilê de nossa mãe, pois a mesma teve que fechar devido a motivos de doença . Agora, eu e mais alguns irmãos estamos sem um terreiro e não gostaríamos de voltar para a Umbanda depois de tanto tempo nos dedicando a essa maravilhosa nação. Então peço encarecidamente que se alguém puder nos indicar um terreiro aqui na capital de São Paulo, serei muito grata. Aguardo ansiosa por um retorno
    . Asé a todos.

    • Mukuiu N’Zambi! Sinto muito pelo que aconteceu. Estou muito longe e o que posso fazer é lhe passar alguns contatos que talvez possam lhe informar alguma coisa. Procure no Facebook por “Wilcleverson Cipolli” (http://www.facebook.com/wilcleverson), ele é Babalorixá de Omolokô em Pirassununga – SP, e conhece muita gente. Outro contato é o Abassá Bacuro Madé, de São Carlos – SP, que você pode achar no Orkut. Espero que eles possam lhe indicar alguma Casa.

  9. Marcos Cortes says:

    Gostaria de saber onde tem essa Nação aqui na Baixada Fluminense/ RJ!
    Desde já agradeço!!!

    • Mukuiu N’Zambi! Existem bastantes Terreiros de Omolokô no Rio de Janeiro, no entanto eu não conheço nenhum pessoalmente. Em uma rápida pesquisa eu encontrei um localizado na Rua Engenho do Mato nº 483, no Bairro Tomás Coelho, no Rio de Janeiro. Pode ser um ponto de partida. Espero ter ajudado.

      • Jorge Mauro Nascimento says:

        Eu sou Umbandista mais quero seguir uma casa de raizes mais antigas!!!
        O que eu faso???

      • Mukuiu N’Zambi! Primeiro seria interessante saber em que cidade você mora para que pudesse direcionar melhor a resposta. O que posso lhe dizer é que a Umbanda passou a ser conhecida por esse nome através de Zélio de Moraes em 1908, no entanto é sabido que antes disso haviam cultos onde já se trabalhava com Caboclos, Pretos Velhos e por aí vai, tanto no Rio de Janeiro, como no Sul do Brasil, Nordeste e Norte. Eram as antigas “macumbas” como existiam no Rio de Janeiro. Estes Cultos passaram a ser chamados de Umbanda também, mesmo não seguindo a Teo-filosofia de Zélio de Moraes, tanto que aqui no Sul do Brasil muitos Terreiros nem sabem quem é ele. Assim a Umbanda acabou ficando muito heterogênea, e aumentou ainda mais suas ramificações da última metade do século passado para cá, surgindo a Umbanda Branca, Esotérica, Iniciática e Renovada como exemplos. Tudo isso, na minha opinião, são formas de tornar a Umbanda mais aceitável aos olhos preconceituosos da sociedade, inserindo “fundamentos” astrológicos, orientais e aumentado a influência kardecista, facilitando assim a aceitação da Umbanda pela diminuição do elemento Africano. Afinal de contas astrologia, filosofia oriental e cultura européia (kardecismo) são coisas da moda na nossa sociedade. Enfim a Umbanda hoje não é uma Religião única, e sim uma gama de Religiões afins. Quando você diz raízes mais antigas, pode estar se referindo àquela Umbanda criada por Zélio de Moraes, ou aos cultos mais antigos, como o Omolokô e a Angola por exemplo. Independente do caso procure conhecê-los, e ver o que melhor lhe atende. A Religião existe para ser seu refúgio, seu apoio, aquilo que lhe faz bem, e que não lhe deixe dúvidas naquilo que acredita. Caso tenha dúvida, acredite em seu Orixá e Ele lhe dará o caminho. Fico a disposição.

    • Filho de Ogum says:

      EM NOVA IGUAÇU , CABUÇU . RUA JOAQUIM DA SILVA MAIA NUMERO 15 , PROXIMO AO ANTIGO COLEGIO MEDICE

  10. Jorge Mauro Nascimento says:

    sou de Barra do Pirai por favor me ajude!!!!

  11. leandro says:

    eu fui feito em omoloco numa casa traçada a feitura de santo no omoloco é valida como feitura.

    • Mukuiu N’Zambi! Se ela foi feita respeitando os devidos fundamentos, claro que é válida. No entanto entenda que uma feitura de Omolokô é válida dentro do Omolokô, uma feitura de Ketu no Ketu, uma feitura no Jeje no Jeje, e por aí vai. Se uma pessoa for “mudar de águas”, ela provavelmente terá que refazer suas obrigações.

  12. eu tenho cargo de zelador e fui feito em Omoloko . mais esto afastado da casa a onde fiz minhas obrigações por minha mãe de santo mudou de águas , mais eu quero continuar em Omoloko como eu faço?

    • Mukuiu N’Zambi! Para ter cargo de Zelador você deve ter recebido o seu Decá, neste caso você poderia tocar sua própria Casa. No entanto se você não recebeu seu Decá e quer prosseguir dentro do Omolokô, aconselho que procure uma Casa de Omolokô, e como sua Zeladora “Mudou de Águas”, o certo é você tirar a Mão dela de sua Cabeça, para isso seria ideal fazer um Jogo, verificando a necessidade de Ebós específicos para seu caso. A partir daí você poderia prosseguir com a Mão de seu novo Zelador.

  13. depois de quanta obrigações eu posso abrir a minha casa.

    • Mukuiu N’Zambi! Após seus 07 anos de obrigações você passa a ser considerado um Egbomi, no entanto isto não lhe habilita a dirigir um Terreiro. Este direito ou autorização, por assim dizer, vem através do Decá, quem nem todos recebem após cumprirem seus preceitos. Não que isto seja um demérito, apenas é que nem todo mundo nasce com a “missão” de comandar uma Casa.

  14. eu fui feito em omoloko . e se eu quiser ir para uma casa de umbanda pura o que faço . não tem problema

    • Mukuiu N’Zambi! Sem problema algum. Você pode continuar trabalhando com seus Guias dentro de uma Casa de Umbanda, e inclusive tomar os devidos preceitos (de Umbanda) dentro dela. Vai depender de você apenas se adaptar a esta nova doutrina. No entanto deve haver uma preocupação caso você tenha algum Orixá assentado e ao Igbá Ori os quais, caso tenham sido feitos, deverão ser cuidados ou despachados com os devidos preceitos e ebós, e para isso deverá ser consultado os Búzios.

  15. Meu irmão sou Babalorixá Hugo d`oxalá omoloko,no Rio de janeiro fico feliz por ter um irmão que luta pela nossa querida nação omolokô veja o nosso site http://www.mensageirodaluz.com …espero que um dia visite a nossa roça de santo e claro iremos na sua tambem mucuiu meu velho

  16. fael says:

    sou ogan do culto omoloko puro nossa nação e uma das mais belas seu feito a 12anos tenho um prazer em convidar vcs para visitar meu email e faelmiranda83@yahoo.com.br

  17. PAULO SERGIO GOMES says:

    RENATOABENÇA,FUI FEITO NO CULTO OOMOLOKO DEI MINHA OBRIGAÇAO DE TRES E CINCO
    .MEU CENTRO FECHOU.ENTREI EM UMA CASA QUE O ZELADOR PASSOU PELO CULTO MKAIS RASPOU.SENDO QUE ELE FALOU ME FARIA RESTO DO COMPLETO.MEU ORIXA POR PEDIU MEU DEKA.PERGUNTA É POSSO JÁ RECEBE´LO.POIS TENHO TEMPO DE SANTO QUASE 20ANOS

    • Mukuiu N’Zambi! Você pode receber o seu Deká desde que tenha cargo para isso e tenha completado suas obrigações. Quanto raspagem o que posso lhe dizer é que existem Casas que não raspam totalmente a cabeça. Não vou entrar no mérito do certo ou errado. Acredito que seu Zelador deve ter jogado e deve ter visto o necessário para você. Aconselho que converse com ele e se você sente confiança na Casa apenas deixe que ele faça o que deve ser feito,

  18. na feitura de santo no omoloko raspa totalmente a cabeça o nao presiza

    • Mukuiu N’Zambi! Em muitas Casas não se raspa completamente a cabeça, apenas retira-se um pouco do cabelo no Ori. Na minha raiz se raspa completamente, abre-se as curas no Ori, peito, costas, braços e pés, que na minha opinião é o correto.

  19. Monica Oliveira says:

    Boa Noite e meu mukuiu.
    Sou iniciada na nação Angola e a pouco tempo conheci uma casa que diz ser Omoloco / Umbanda.
    Nos dias de saída dos inkices, saem primeiro com seus caboclos e todos com contra -egum.
    esta é a maneira certa ?
    Obrigado pela sua atenção e meus respeitos.

    • Mukuiu N”Zambi! Não, esta não é maneira correta. A despeito do Omolokô cultuar entidades como Caboclos, Preto Velhos, Exus e etc, uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. O culto a Orixás/Nkises é feito de maneira separada. Em uma Saída de Santo quem incorpora é Orixá/Nkise e não Eguns (Caboclos e etc). É uma cerimônia de Santo e não de Umbanda. Como é que vão incorporar Egun usando Contra Egun? O que infelizmente acontece é que tem Casa de Umbanda misturando culto de Nação em suas práticas, até por que seus Zeladores não são feitos no Santo, ou foram feitos de maneira errada, gerando estas deturpações.

      • Monica Oliveira says:

        Boa noite, mukuiu.
        Muito obrigado pela sua atenção e fico grata em saber que não estou errada em ver tanta contradição.
        Fico triste em ver a pessoa dizendo ser babalorixá e Barô ( pois a casa cultua ciganos, Xamas, Wiccas, umbanda, catimbó nago…enfim tudo no mesmo local ) e as pessoas se sentindo feitas com apenas 3 dias de recolhimento.
        Fico triste em ver que a confederação conceda alvará para essas casas.
        Tenha uma ótima semana com as Bençãos de Lemba.

      • Mukuiu N’Zambi! Infelizmente isto acontece. Misturar culto africano com wicca, esoterismo, astrologia virou moda. O problema é que muitas casa de Umbanda estão trazendo fundamentos de Nação para seus cultos, mas por não conhecerem a fundo o assunto acabam fazendo uma mistura dentro do “achismo” de cada dirigente. Já vi Ogã sair paramentado e tocando atabaque, entre outras barbaridades. A tradição e o conhecimento estão se perdendo por causa destas “invencionices”. Roncó é coisa séria, não há espaço para aventureiros fazerem suas bobagens no Ori das pessoas. Fico muito triste, mas faço “mea culpa” , pois todos os Zeladores deveriam tomar atitudes para que tais fatos não acontecessem. Peço a N’Zambi que olhe por estas pessoas, mostrando o caminho.

  20. PAUO SERGIO GOMES says:

    mucuiu eu pai ;preciso .de um conselho.fui feito a quase 20 anos,no omoloko;porem o ei ade1 e3 anatualmente eri numa casa de ktu e angocom ompromisso de faze omoloko.porem nm ultimo toue eladora questionou meu orixá ,porque ele colocava MAO PARA TRAS EDAVA ILÁ.NAOUTRA CASA FOI SUSPESO PAI PEQUENOOOO DONA DA CASA MDEU ESSA ORDM MEU ORIXA.POXA ENTREI NA CASA ATUAL ASSIM ESTOU 2 ANOS ORIXA CANSOUDE SER VESTDIO TOMAR RUM E AGORA VAO CORRIGIR ERRO ,BOTAR MAO ANDOR .MEU RIXATE UMA ZELADOAMAIS E CTO TODO MUNDO OPINAR,POI POR CAUSADESSAAÇAOD DESOBEDIENCIA ,CORRO RICO DE NEM TOMAR OBRIGAÇAO.PEÇO UMA ORIENTAÇAO OBRIGADO ,MUCUIU.

    • Mukuiu N’Zambi! É muito difícil falar sobre “Orixá errado”, pois tudo depende muito também do ponto de vista que o(a) zelador(a) tem sobre o assunto.
      Essa discussão acontece muitas vezes pela vaidade humana, fazendo com que muitas vezes um(a) Zelador(a)o queira ser mais do que o outro e acabem desmerecendo o que o anterior efetuou.
      O importante é você saber se o seu caminho quando seu Orixá despertar, se houve uma condução dentro do que você desejava e foi determinado. A pessoa tem que antes de adentrar em uma Casa, ter certeza do que está fazendo, para evitar sofrimentos futuros.
      Ao entrar em uma Casa a pessoa deve procurar manter-se na raiz que a mesma segue, mudanças constantes tendem a trazer sofrimentos constantes, pois nem sempre as coisas ficam como eram anteriormente conduzidas.
      Caso não esteja se adaptando ou aceitando aquilo que a Casa lhe oferece, a melhor coisa é conversar de maneira séria e clara com sua Zeladora, mas só faça Obrigações caso tenha absoluta convicção.

  21. Maria Valéria Gomes says:

    Boa noite, estou procurando uma casa Omoloko no Rio de Janeiro, em qualquer bairro. Gostaria de conhecer e queria uma indicação de pessoas sérias, será que o senhor poderia me ajudar?
    Obrigada

  22. Rafael says:

    ola eu gostaria de manter contato pois adorei o SR..sera q tem como me mandar o endereço d seu terreiro pois eu necessito d um jogo…a minha mae d santo toca omoloko e esta fechando..e neecessito d fazer algo dentro da raiz q iniciei..meu email é silvaduarte2013@bol.com.br….Obrigado!!

    • Rafael says:

      Eu preciso mto de ajuda..sou de VOLTA REDONDA RJ e gostaria de saber se aqui tbm tem omoloko q raspa o santo e tem todos os fundamentos especificos? Poiis eu conheço um monte d omoloko por aqui q é uma palhaçada…

      • Mukuiu N’Zambi! Infelizmente eu não conheço. O que acontece hoje em dia é que muito Terreiro de Umbanda vem misturando fundamento de “Santo”, misturando tudo, e o que é pior sem saber nada, e depois sai falando que é Omolokô. O conselho que posso te dar, é caso não encontre um Terreiro que realmete tenha fundamento de Omolokô, e o mais importante, que você sinta segurança, existe também a Candomblé de Angola, que guarda muitas semelhanças, e até mesmo o Keto.

    • Mukuiu N”Zambi! Rafael não sei qual é sua cidade, mas hoje o Terreiro está na cidade de Campo Grande – MS. Qualquer coisa podemos conversar pelo e-mail ile_paijoaquim_maemaria@hotmail.com

  23. Há fundamento yansa nana oxalá

    • Mukuiu N’Zambi! Depende em relação ao que auer saber. Por exemplo existe fundamento entre Nanã Xalá e Oxalá, entre Oyá Ijibé e Oxalá e entre as qualidades de Oyá Igbalé que tem fundamento com Oxalá e Nanã.

  24. Qdo há uma corrente de cura de distância desdobramento.e se pede que vá aquele hospital.imediatamente incorporada ou nao traga aquele quarto ou enfermaria pra dentro sala do terreiro.me surpreende que sou eu posso ver . Os outros médios mesmo incorporados nao conseguem ver. Pq se da isso.sou feita omoloko levantada oxalá.sofro muito deboche e desrespeitar me

  25. Procuro casa omoloko iguaba grande

  26. Noni says:

    olá, gostaria de sua explicação, Tem casas de Omolokô que procedem as obrigações igualmente as de outras nações (feitura, 1, 3, “5”, 7…), e já pude observar que outras tem apenas (7) e com ebós designando uma obrigação e com recolhimentos picotados em dias, mas com preceitos acentuados. Pois bem, na “sua” visão, compreensão e sabedoria adquirida, o que é correto quanto aos espaçamentos de obrigações e seus referidos nomes no Culto Omoçokô. desde já, agradeço vossa atenção.

    • Mukuiu N’Zambi! Bem vamos lá, existem Casas de Omolokô que acabaram adotando o sistema de Obrigações idênticos aos dos Candomblés, no entanto apesar do ritual de Feitura ser semelhante as demais obrigações não são. Na minha linhagem são realizados Obrigações anuais que vão do 1º ao 7º ano, cada obrigação anual desta é prestada a um Orixá ou até mesmo mais de um, consistindo em ebós, recolhimento, e cumprimento de alguns dias de preceito.Tenho na minha visão que algumas Casas na tentativa de se firmar perante os Cultos de Candomblé quiseram adotar o mesmo sistema (obrigações de 1,3, algumas de 5 e por fim 7 anos), mas temos que entender que Candomblé Ketu tem seus fundamentos e preceitos próprios, Candomblé de Angola os seus, o Candomblé Jeje o seu, o Batuque o seu, e por vai dentro do que chamamos de Culto aos Orixás ou Nações. O Omolokô é um Culto de Nação, ou seja ele cultua os Orixás, realiza Feitura e Obrigações para os Orixás, tem seus preceitos próprios, mas não é igual ao que é feito em outras Nações.Não vou sair dizendo que as Casas que seguem o sistema que você citou estejam erradas, mas na verdade foge ao sistema tradicional do Omolokô.

  27. Noni says:

    Obrigado por sua generosa atenção, gostaria de fazer mais uma pergunta se possível, à titulo de curiosidade, NÂO DE FUNDAMENTOS DA RELIGIÂO. Vejo documentários, e videos sobre o OMOLOKÔ (net), mas tive uma curiosidade: Vejo runs dos santos, vestimentas e tudo mais… mas não vi tipo “as saídas”, O OMOLOKÔ é igual as outras raízes no que diz respeito à: saída de branco, saída com “Adosú”, saída para a “Suna” e saída para “Rum”, ou segue um ritual interno? Se apenas “Catula”, como segue a questão do “Adosú”. Vi uma vez numa casa usando cabaça pintada para cobrir a não raspagem do cabelo. Isso procede? Ah! Desculpe, eu sou pesquisador dos cultos afros, e apenas são para tese de construção de pesquisa, nada melhor do que perguntar aos Sacerdotes. Obrigado mais uma vez.

    • Mukuiu N’Zambi! No Omolokô tradicional se raspa, usa-se o Adosù para os rodantes, e em alguns casos especiais para os Ogãs e Ekdji (que inclusive passam pelo ritual de raspagem também), e em muito tirando um ou outro detalhe é muito parecido com o Candomblé, talvez a diferença fica no tempo de recolhimento que varia de 07 a 21 dias, dependendo do Jogo de Búzios. As saídas são as mesmas, a Saída de Branco ou de Oxalá, a Saída de Nação ou Estampada, a Saída de Ekodidé ou do nome e por fim a Saida do Rum ou Rica. Sei que existem Casas que não raspam, mas isso se deve a uma aproximação que muitas Casas de Omolokô tiveram da Umbanda, algumas vezes estando mais próximas dos ritos de Umbanda do que de Omolokô. Quanto o que disse da cabaça tenho que ser sincero em dizer que nunca vi e desconheço este fundamento. Normalmente usamos uma cabaça pendurada no pescoço do Yawô por um fio de palha da costa, devido a determinado fundamento, mas não na cabeça. Qualquer outra dúvida fico a disposição.

  28. Noni says:

    Obrigado mais uma vez, por isso que eu tive uma dúvida pertinente. Quanto ao Omolokô de Raiz, digamos assim, “não tenho dúvidas” quanto a semelhança das outras Nações. Minha dúvida é em relação aos que não raspam e apenas catulam!!! Saida de Oxalá (branco) com cabelo? a Saída de Nação ou Estampada com cabelo?, a Saída de Ekodidé ou do nome com cabelo? e por fim a Saida do Rum ou Rica com cabelo? Ou o Omolocô que recebeu influencia da Umbanda não faz essas saídas? (O que eu pesquiso é justamente sobre Nações de mesmo nome com ritualísticas modificadas por influencias de outras Nações ou cultos imergentes).
    OBRIGADO POR SUA GENTILEZA E ATENÇÃO. TODA PAZ DO MUNDO PARA VOCÊ. ABÇS

    • Mukuiu N’Zambi! O Omolokô surgiu de forma espontânea, praticamente uma dissidência do Candomblé Banto, como os demais Cultos Afro de Nações, e era muito presente principalmente no Rio de Janeiro e Zona da Mata Mineira no final do Século XIX, eram as antigas macumbas. O que o caracterizava e diferenciava dos Candomblés tradicionais era o fato de aceitar a incorporação com eguns (Caboclos, Preto Velhos, Exus, etc). Na verdade o Omolokô foi o grande influenciador da formação da Umbanda. Quando Zélio de Morais fundou o movimento Umbandista ele fundou uma Religião que trabalha fundamentalmente com entidades (eguns) que já se faziam presente em Terreiros de Omolokô e no Batuque do Rio Grande do Sul, retirando alguns fundamentos como sacrifícios, feitura, e o próprio Siré, uma vez que na Umbanda não há a incorporação do Orixá e sim de seus falangeiros. Houve uma simplificação do Panteão dos Orixás, que são cultuados em número menor na Umbanda. Houve também, um acréscimo do elemento Kardecista em sua doutrina. Tatá Tancredo não aceitava principalmente a influência kardecista na Umbanda e tentou aproximar o Omolokô e a Umbanda, principalmente através de suas obras literárias. De certa forma esta tentativa de aproximação acabou “africanizando” algumas Casas de Umbanda e “Umbandizando” algumas Casas de Omolokô. Por isso temos hoje Terreiros de Omolokô que se aproximam muito da Umbanda, até denominando-se de Terreiros de Umbanda Omolokô, ficando um meio termo entre uma coisa e outra. Por outro lado vemos Terreiros que mantiveram suas raízes Afros bem arraigadas, praticando os fundamentos originais, inclusive denominando-se de Terreiros de Nação Omolokô ou simplesmente Omolokô. O fato é que as duas Religiões tem seus pontos de coincidência, mas possuem fundamentos diferentes. Nosso próprio Terreiro usa o nome de Terreiro de Umbanda e Nação Omolokô, até porque eu comecei na Umbanda e minha esposa que trabalha comigo é feita na Umbanda, mas cada coisa tem seu devido espaço e não se misturam fundamentos. O fato que existe interação entre as diversas Religiões de Matriz Africana, e as coisas são dinâmicas, criando-se variações de Casa para Casa, de culto para culto, são Religiões muito ricas de preceitos e fundamentos. No entanto acho que se vamos realizar algo como uma Saída de Santo os preceitos devem ser seguidos como manda a tradição, ou seja raspa-se, recolhe-se e realiza os demais preceitos necessários. Afinal não dá pra conceber um Adosú em uma cabeça cabeluda.

  29. Blanca Fernandes says:

    BOA NOITE,Babalorixá Renato T’Ogun!
    Gostaria de compreender sobre omoloko.Poderia me ajudar, o meu é blancafarma@hotmail.com.
    Grata !
    Um abraço!

  30. Silnei says:

    Mukuiu! Gostaria de saber o significado da corrente em forma de “M” no Omolokô. silnei.farkas@gmail.com

    • Mukuiu N’Zambi! O que você quer dizer com corrente em “M”?

      • silneifarkas@gmail.com says:

        Mucuiu! Correção dp email anterior: a foto é da casa grande! Enviado do meu smartphone BlackBerry 10. De: TERREIRO DE UMBANDA E NAÇÃO OMOLOKÔ PAI JOAQUIM E MÃE MARIAEnviada: segunda-feira, 19 de janeiro de 2015 17:22Para: silnei.farkas@gmail.comResponder a: TERREIRO DE UMBANDA E NAÇÃO OMOLOKÔ PAI JOAQUIM E MÃE MARIAAssunto: [New comment] NAÇÃO OMOLOKÔ

        a:hover { color: red; } a { text-decoration: none; color: #0088cc; }

        a.primaryactionlink:link, a.primaryactionlink:visited { background-color: #2585B2; color: #fff; } a.primaryactionlink:hover, a.primaryactionlink:active { background-color: #11729E !important; color: #fff !important; }

        /* @media only screen and (max-device-width: 480px) { .post { min-width: 700px !important; } } */ WordPress.com

        Babalorixá Renato T’Ogun commented: “Mukuiu N’Zambi! O que você quer dizer com corrente em “M”?”

      • Mukuiu N’Zambi! Provavelmente se trata de uma segurança daquela Casa. Uma coisa particular daquele Ilê, e não um fundamento específico de Omolokô.

      • silneifarkas@gmail.com says:

        Mukuiu! Muito obrigado….axé? Enviado do meu smartphone BlackBerry 10. De: TERREIRO DE UMBANDA E NAÇÃO OMOLOKÔ PAI JOAQUIM E MÃE MARIAEnviada: quarta-feira, 21 de janeiro de 2015 20:36Para: silnei.farkas@gmail.comResponder a: TERREIRO DE UMBANDA E NAÇÃO OMOLOKÔ PAI JOAQUIM E MÃE MARIAAssunto: [New comment] NAÇÃO OMOLOKÔ

        a:hover { color: red; } a { text-decoration: none; color: #0088cc; }

        a.primaryactionlink:link, a.primaryactionlink:visited { background-color: #2585B2; color: #fff; } a.primaryactionlink:hover, a.primaryactionlink:active { background-color: #11729E !important; color: #fff !important; }

        /* @media only screen and (max-device-width: 480px) { .post { min-width: 700px !important; } } */ WordPress.com

        Babalorixá Renato T’Ogun commented: “Mukuiu N’Zambi! Provavelmente se trata de uma segurança daquela Casa. Uma coisa particular daquele Ilê, e não um fundamento específico de Omolokô.”

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s