BORÍ

O Borí é um dos rituais dos cultos Afro-Brasileiros. É o ritual que visa tratar o Ori (Cabeça) de uma pessoa, podendo até mesmo mudar seu destino, sendo assim um dos rituais mais importantes. Seu significado é literalmente “dar comida à cabeça”.
O Borí não é um ritual que se restringe apenas à pessoas ligadas aos Cultos Africanos, mas sim a todos aqueles que precisam fortalecer a sua Alma – o Ori.
O Ori de uma pessoa se divide em Orí Odé e Orí Innú.
Orí Odé é a cabeça externa, o crânio, o cérebro, a face, a nuca, e se refere também à nossa personalidade que é conhecida por todos. Já o Orí Innú significa cabeça interna, a cabeça que realmente comanda, ou seja, o nosso “eu” que nos conhece antes mesmo de termos nascido. É a nossa Alma. Orí Innú é o Orí a que nos importa dentro do Culto, já que o Orí Odé é confiado a Osaniyn e Ogun, ou seja, à medicina e à cirurgia o tratam, enquanto o Orí Innú exige apenas o Bori como tratamento.
Orí Odé é apenas uma casca, um veículo para a Alma enquanto Orí Innú é o nosso verdadeiro eu  que conhece o nosso Destino, e conduz Orí Odé a cumpri-lo mesmo sem saber.
Em nosso Orí está além de nossa Alma o Odu que nos rege.
O Orí, que além de ser um Orixá em si, é o nosso principal, pois sem ele, Orí, nem nosso Orixá poderá nos abençoar ou proteger.Pois como reza o Oriki: “Ko sí Òòsà tí i dá´ni gbè léhìn Orí eni” (“Nenhum Orixá abençoa uma pessoa antes de seu Orí”). .
São vários tipos de Borí, e cada um deles tem uma finalidade específica. Somente Sacerdotes do Culto que tenham cumprido seus Preceitos e atingido sua “maioridade” dentro de sua Nação podem realizar um Bori, devido a sua complexidade e seriedade, afinal trata-se da Alma de uma pessoa
O Borí se divide, a princípio,  Borí para restauração, ou tratamento de Orí e Borí de iniciação
Para fins de tratamento do Ori existem os seguintes Bori:
1- Borí Omi Tutú (Borí de Água fresca): é o mais simples, utiliza-se sobretudo de um Obi Batá (obi de 4 gomos) que é o principal alimento de Orí, e simboliza-o. Além do Obi, água fresca, vela e alguns outros pequenos segredos. Indicado principalmente para problemas emocionais e psicológicos.
2- Borí Ejá (Borí de Peixe): Com os mesmos elementos do Bori anterior mas leva também o Peixe como comida oa Ori. Indicado para problemas de saúde e psicológicos, podendo também ser direcionado para conquistas de objetivos pessoais (profissionais por exemplo).
3- O Borí Axé (Borí de Força): O mais forte de todos os Borís, pois utiliza-se dos ingredientes e segredos de todos os Boris citados, mais outros segredos que é o Axé do Ejé (sangue) dos animais sacrificados ao Ori. De maneira alguma se dá este Bori em pessoas doentes ou fracas fisicamente. tamanha a sua Força, podendo prejudicar ainda mais a pessoa. Trata-se do último recurso no que se refere ao Ori.
O Borí de iniciação é destinado a pessoas que são iniciadas no Culto de uma Nação.
Estes Rituais de Culto à Orí são reservados, e somente são revelados aos iniciados no momento certo.
Resumindo o Ritual do Borí é a forma de tratar o nosso Orí – Alma, e um método eficaz de buscar, em o nosso destino, a Saúde, a Vitalidade, e Axé.

This entry was posted in Doutrina. Bookmark the permalink.

4 Responses to BORÍ

  1. Mukuiu N’Zambi! Tem me causado estranheza, e certa preocupação, quando verifico os termos de pesquisa e vejo que muitas pessoas visitam este Post querendo saber sobre o Borí na Umbanda. Quero esclarecer que Bori não é, nem nunca foi preceito de Umbanda.
    Bori é fundamento de Culto Africano de Nação, Ketu, Jeje, Banto e etc. Obviamente as pessoas chegam ao Post porque quando pesquisam os sites de busca relacionam o palavra Bori com Terreiro de Umbanda e Nação Omolokô Pai Joaquim e Mãe Maria. O Terreiro tem fundamento de Umbanda haja vista que eu e minha esposa fomos inicialmente feitos nela, depois eu fiz as minhas Obrigações dentro do Omolokô. Este sim, como culto de Nação realiza Boris, assentamento de Orixás e demais preceitos de “Santo”. Devemos lembrar ainda que a Umbanda não aceita sacrifícios, e somente o Borí Omi Tutú não exije sacrifício, o demais todos exigem. Enfim, esta é a Umbanda, seu ritual já nasceu assim, ela cultua Orixás a sua maneira, sem sacrifícios. As diversas Nações, ao contrário, tem seu culto enraizado nas práticas africanas que se utilizam da energia animal. Nenhuma é melhor que a outra, apenas cultos diferentes. Se tentarmos levar fundamentos de uma religião para a outra corremos o risco de perder o fundamento das duas.

    • Simone Alves says:

      Adorei a explicação! Estou a pouco tempo em um terreiro Omolokô e me ajudou a entender bem as características distintas entre a umbanda e o omolokô. Obrigada pela explicação.

  2. guilherme garcia de oxala says:

    quando o mediun faz o bori no omoloko ele esta iniciando nas obrigação de pai de santo então na casa ele deve ter um cuidado e um certo respeito . quando vc beija a mao da pessoa da pessoa não do santo da pessoa neh . vc esta pedindo a protesao do santo da pessoa e não dela neh

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s