ORIXÁ JAGUN, O GUERREIRO DE OBATALÁ

224056_1956747927421_1504423165_32125118_7182271_n

FOLHAS: Akoko, algodão, saiao fortuna. folha de obi, folhas de
iroko , folhas oguegue e todos folhas de Oxalá
CORES: Preto e Branco
ODU: Ejionile Meji
REGIÃO: Ekiti Efon
SAUDAÇÃO: :Epá Arawrá,jagun Epá

Segundo as lendas e itans, Jagun, era um guerreiro dos Exércitos de Obatalá e que foi enviado às Terras de Omolu para lutar pela paz em nome de Oxalá. Isso fez que em algumas Casa ele seja cultuado como uma qualidade Omolu. No entanto Jagun é um Orixá Funfun que tem forte fundamento com Omulu, sendo então um Orixá específico e não uma qualidade. Pela ordem do meridilogun, Jagun responde no Odú Ejionilê (oitavo Odu) Odú regido por Oxaguiã, Odú no qual também respondem outros Guerreiros Brancos como Ogum Já e Oxaguiã Ajagunãn.

Trata-se de um Orixá ambicioso que luta para conquistar posição destaque sem medir conseqüências, e apesar de ser um Orixá Funfun (branco) é considerado e cultuado como Orixá de Guerra. Carrega uma lança prateada na mão e um facão, e dependendo da qualidade ofá, pois um itan conta que Oxalá o nomeou como o guerreiro de todas as armas, e por ser um Orixá Funfun veste-se somente de branco. Seu fio de contas é na cor brancas e preto, podendo ser ornados com búzios e marfim. Jágun é Orixá Jovem ligado a Obatalá, e tem caminhos com Ogun Já, Oxaguiã Ajagunãn, e Ayrá. Também está ligado a quase todas e Yabás, principalmente Yemanjá, pois elas acalmam sua fúria. Quem traz Jágun ao barracão é Oxaguiã. Jagun também é considerado o “protetor” e “guardião” de Oxalufã. Como todo Orixá Funfun (branco) não aceita azeite de dendê, e sim azeite doce , banha de ori, e as vezes mel. Suas comidas são sempre brancas, aceitando pipocas feitas na areia, bolas de inhame cozido, bolas de arroz, acaçá e obí funfun, Aceita também Ebô (canjica) de Oxalá, e seus bichos também devem ser todos brancos. Dança com outros Orixás, acompanhando Ogun e principalmente Oxaguiã e Oxalufã. Sua dança é extremamente guerreira, começa com movimentos lentos, empunhando sua lança e adaga, e em determinado momento salta e se sacode todo empunhando a lança de um lado para outro, tamanha é sua fúria guerreira nessa hora. Segundo as lendas, a lança prateada de Jágun, durante as batalhas e guerras, além de ser usada para proteção contra os males e feitiçarias e abrir os caminhos, deixava seus inimigos cegos após serem feridos por ela. Jagun, assim como Ogum, é tido como um grande caçador, mas é essencialmente guerreiro.

Conta o itan que existiam três irmãos: Ogum Já, Jágun e Oxaguiã Ajagunãn. Eram três Guerreiros que pertenciam aos exércitos de Obatalá, lutavam e venciam todas as guerras e batalhas em nome de Oxalá e eram os Guardiões deste Orixá. Eram chamados de Guerreiros Brancos, por se vestirem somente com trajes brancos em homenagem a Obatalá. Considerados invencíveis, por sua bravura e coragem, nunca perderam uma batalha sequer. Sempre muito unidos, nunca se separavam. Mas um belo dia, os três irmãos guerreiros, foram guerrear contra o reino de Oxum. Ela com a grande sabedoria dos poderes das Ìyámi foi avisada que seu reino seria atacado. Desesperada foi consultar Ifá para saber o que faria. Ele mandou Oxum fazer um ebó, sacrificar oito Igbis à Oxalá e com o casco fizesse um pó e soprasse nas suas terras, e assim ela fez. Quando os guerreiros chegaram para invadirem as terras, eles ficaram tontos e se perderam um do outro. Jagun foi para as terras de Omolu, Ogum para as terras de Ifé e Oxaguiã para as terras de Oxalá. Mas mesmo assim, os três irmãos sempre estão juntos, respondendo um pelo outro. Por ter parado nas terras de Omulu o culto a Jagun foi assimilado ao de Omolu. Lá, ele se juntou com o Orixá Osayn e passou a ser um grande curandeiro, e em tempos de guerra ele cuidava dos guerreiros feridos com as porções e ervas mágicas que Osayn o ensinou.

Os filhos de Jágun, tem aparência jovem, são autoritários, arrogantes, guerreiros, justiceiros, briguentos e agitados, fortes na adversidade, costumam fazer tudo à sua maneira, ouvem conselhos dos outros, mas costumam seguir sua própria vontade…São pessoas trabalhadoras, gostam de tudo rápido, exigem asseio, limpeza; são pessoas impulsivas; pessoas de espírito livre; enjoam de tudo facilmente; são dados a paixões violentas e passageiras, são curiosos e adoram viajar. Possuem grande proteção espiritual, boas amizades e, quase sempre, caminhos abertos. Possuem comportamento delicado, são honestas, dedicadas e atenciosas. Vivem com grandes esperanças, estão sempre apaixonadas, são sonhadoras, sofrem e se desdobram para ajudar e defender os amigos. Quando são repudiados ou sofrem algum tipo de traição podem se tornar extremamente vingativas e amargas. Apesar de serem guerreiras e obstinadas, as pessoas de Jagun, às vezes se isolam preferindo ambientes calmos e tranquilos. A personalidade dos filhos de Jágun é um misto de caracteristicas de Ogum, Omolú e Oxaguiã. Por isso muitos confundem os filhos de Jagun com os filhos de Oxaguiã, Ogum ou de Omulu.
Considerar Jagun como Obaluayê não está errado, pois o mesmo aceitou as tradições das terras de Obaluaye, mais também é correto usar por opção do Zelador todos os fundamentos desse Orixá pois ele tem cantigas e culto próprio, é correto também Jagun não vestir palha

Qualidades de Jagun

Jagun Elewé – Esse caminho é o de sua passagem pelas terras de Omulu, onde encontrou Ossain, com que tem fundamento, e aprendeu a magia da cura e das folhas. Sua ferramenta é um opere prateado (símbolo de Ossain). Come com Ossain, Odé Enrilé e Ogum Já. Qualidade muito guerreira, ligada a cura e os mistérios de magia de Ìyámi Oṣoronga.

Jagun Alagba ou Jagun Abagba – É uma qualidade de temperamento muito difícil de fundamento com Ìyámi e Baba Egun.Pessoas desse caminho pelo menos tem que se tomar Bori ou Obi com Ejé duas vezes no ano. Qualidade muito quente, tem ligação com Yewá pois ela foi sua esposa, é necessário todas as Iyabás para acalmá-lo. Essa qualidade é ligada a Oxaguiã Ajagunã e Ogum Já. Carrega uma mão de pilão nas costas e seus assentamentos ficam junto com os de Oxalá.Para mexer com esse Orixá, independente de caminho, tem que tratar bem de Ìyámi, Egun e Esú. Esse caminho de Jagun usa três kelês um de Búzios, um de conta e outro de Branco de Osala.

Jagun Ọdé Ou Jagun Olodé – Ligado aos Odés. Seus assentamentos ficam junto aos de Odés. Ligado a Ogum e Oxóssi, comendo junto com eles, usa um Ofá prateado.

Jagun Igbona – Ligado a Ayrá. Nessa fase de Jagun é muito quente por se ligado aos Orisás do fogo Ayrá e Oyá.

Jagun Agbá funfun – Ligado a Oxalufã, Yemanjá e Oxaguiã. É uma qualidade lenta mas muito guerreira.

Jagun Ajojí ou Jagun Seji Lonan – Ligado a Ogum e Exu, é uma qualidade muito sanguinária. Muito quente e guerreiro, nessa fazer usa mariwô ou abre caminho para acalmá-lo. Come com Ogum, e leva um kelê e umbigueira de ferro.

Jagun Aisan – Tido como uma qualidade feminina de Jagun, ou seja trata-se de um Iyabá. Nesse caminho cobre-se de palha ou mariwô. Qualidade muito rara e que não se faz Ori.

.

This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s